Gerações futuras saberão de crise climática por uma "caixa-preta"

As possíveis novas civilizações poderão ter acesso aos dados do clima no futuro através de uma "caixa-preta" desenvolvida na Austrália. Pesquisadores a consideram indestrutível.


Por Amanda Souza



"Caixa-preta" que guardará dados do clima para gerações futuras desenvolvida na Austrália.


Uma estrutura gigante, do tamanho de um ônibus considerada indestrutível por desenvolvedores fará o papel de uma "caixa-preta" e guardará informações da crise climática que já enfrentamos nos dias atuais. Tais dados poderão ser acessados por gerações futuras.


Mas será que uma estrutura desenvolvida por nós humanos, suportaria décadas ou até mesmo milênios, e ainda seria capaz de levar informações dos tempos atuais para gerações futuras mostrando tudo que enfrentamos? Ao que tudo indica, sim. A caixa enorme, feita de aço e montada em uma plataforma de granito deve sobreviver às próprias adversidades do clima e sobreviver também aos humanos.


A cada nova pesquisa sobre o clima é normal que manchetes de notícias sejam postadas, ou até mesmo tweets compartilhados, o que ficará registrado na "caixa-preta" durante anos e anos.


Estrutura

A "caixa-preta da Terra" tem grossas paredes de aço, armazenamento em bateria e painéis solares. Seus criadores esperam que a mesma diga às civilizações futuras como a humanidade criou a terrível crise climática, e principalmente, como falhamos ou tivemos sucesso em enfrentá-la.


Jonathan Kneebone, artista e diretor do coletivo artístico Glue Society, que está envolvido com o projeto, relatou que a caixa funcionará como um registro indestrutível e independente da saúde do nosso planeta. E completou: "Esperamos que faça com que os líderes prestem contas e inspirem ações e reações na população em geral".


Vale ressaltar que embora a estrutura não esteja pronta até o próximo ano, os discos de aço já começaram a fazer os primeiros registros das descobertas e debates do clima baseados em algoritmos desde a COP26 em Glasgow em novembro.


Projeto de criação

A "caixa-preta" foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade da Tasmânia, que criaram um mega-drive de armazenamento de dados com a finalidade de registrar o conhecimento científico sobre a crise climática.


A criação aconteceu em parceria com uma agência de marketing e comunicação que decidiu instalar o projetil do tamanho de um ônibus no sul da Austrália.


Assim como uma caixa-preta de avião, as placas de aço irão armazenar informações sobre a trajetória das emissões de carbono, a evolução do aquecimento médio global, além de dados relativos a eventos climáticos extremos.


Se o pior acontecer e, como civilização, cairmos como resultado da mudança climática, esta caixa indestrutível estará lá e registrará todos os detalhes disso.

Jim Curtis, diretor da Clemenger BBDO, ressalta que quem sobrar da nossa humanidade, ou quem a encontrar depois disso, terá as informações para aprender com nossos erros.



17 visualizações0 comentário